5 de fev de 2016

Antidemon: resenha show de 22 anos no Manifesto Bar


Dia 30 de janeiro de 2016
Manifesto Bar, São Paulo/SP

No sábado, fui convidado para comemorar 22 anos de trajetória da banda Antidemon, uma das mais conhecidas e bem sucedidas do cenário do "white metal" do Brasil, com alguns CDs gravados e shows até no exterior. Antes, tive a oportunidade de conversar um pouco sobre vários assuntos com o baixista e vocalista Batista, e ele me relatou algumas dificuldades que a banda atravessou durante todo esse período. Realmente, foram duras batalhas que, se não fossem a garra e fé, já teriam desistido.

Bem, o show estava marcado para começar cedo (19 horas e 30 minutos), e mesmo assim a casa recebeu um bom público, todos ávidos por som pesado. A banda (com Marcelo Soldado na guitarra e Juliana na bateria) fez um set que agradou a todos, principalmente por abranger todas as fases e pelo set ter sido montado em cima de pedidos via internet. Ou seja, o público pediu e ouviu.

No palco, o trio não deixa pedra sobre pedra. Aqui eu gostaria de fazer um comentário. As músicas são pesadas e rápidas, nada de diferente de uma banda ´normal´ de metal. A única diferença realmente são as letras. O que pode incomodar algumas pessoas, mas que não deveria. Porque tem gente que curte bandas e que não tem a menor ideia do que está se falando nas letras, ou tem letras que não tem nem pé nem cabeça, e o pessoal aplaude por causa do som. Então, fica a dica: não julgue o livro pela capa. Ouça antes de criticar. Claro que ninguém é obrigado a gostar de tudo, mas respeito e conhecimento são sempre bons.

No meio do set, a banda fez um sorteio de um quadro entre os 100 primeiros ingressos vendidos. Segundo Batista, essa arte do quadro já virou camiseta da banda etc. Então o sortudo levou um pouco da história do Antidemon para casa. Ao retornar, Batista perguntava o que eles queriam ouvir, e muitos gritavam “Massacre”, demonstrando que essa é uma das preferidas. Também é de se destacar que estavam presentes pessoas de várias cidades do interior, litoral e até de outros estados. Parabéns ao grupo pelos 22 anos, e que venham mais. Amém!


Set list
Introdução
INFERNAL
GUERRA AO INFERNO
NÃO TARDARÁ
HOLOCAUSTO
INSANOS CONDENADOS
VÍRUS
CAUSAS ALCOÓLICAS
O QUE ERA RUIM FICOU PIOR
USUÁRIO
CONFINAMENTO ETERNO
PROTESTO AxMxNx
CONTRA O INFERNO
APODRECIDA
EM QUEM VOU ACREDITAR?
SUICÍDIO
WELCOME TO DEATH
DEMONOCÍDIO
VIAGEM
MALDITO LUCIFER
MASSACRE
DOMINIO


(Texto e fotos creditados a Cesar Nemitz) 
Fonte: witheverytearadream
Compartilhar este post?

Download now: Cristo Suburbano "Vol. 2" (Coletanea; Brasil; Punk; Hardcore; 2016)


O selo Cristo Suburbano está lançando a coletânea Cristo Suburbano Volume 2. O álbum contém quarenta e quatro faixas com bandas independentes cristãs de vários gêneros, como o punk rock, hardcore e ska.

Faixas 


01 - HxBx12 - Adore ou Morra
02 - Living Fire - Deus Está Aqui (Thumper Punk Records)
03 - No More Zombies - Minha Brisa
04 - Crush - Sadness and Desease
05 - Unshaken - Não Seja Só Mais Um
06 - Archote - Pai do Orfão
07 - Encontrados - Mudando
08 - Arca de Noé - Como Você Está?
09 - Talmidim Warrior - Terra Brasil
10 - Empire HC - Verdade
11 - Holocausto - Palavra da Cruz
12 - Onix8 - Só Uma Vez
13 - Súplica HC - Para nos Dar a Paz
14 - Nascidos da Morte - Cores do Progresso
15 - Aceia - Pai Nosso
16 - Rodes - Punk Rock
17 - Fora da Placa - Revolução de Outrora
18 - Pátria Celeste - Incondicional
19 - Bravo HC - O Dia D
20 - Alpha Seven Four - Jeová
21 - Baque - Pescador
22 - Transboard - Canal 22
23 - Dior Elias - Inveja
24 - Andrews - Armadura
25 - Soldados de Deus - Andar de Skate
26- Santa Cruz - Estátua de Sal
27 - Audiopraise - Palavras
28 - Introdos - Sem Deus
29 - Terceiro Dia - Diga Porque
30 - Confronto Interior - Antidoping
31 - Harmoni - Amor e Graça
32 - Grano - Ao Estar
33 - Dsarme? - Por Trás Daquela História
34 - Survive 31 - Aquele Amor
35 - Novaprole - O Tempo de Cantar Chegou (Ele Vem)
36 - Plano 6 - Mais Que Vencedor
37 - Mr. Mustache - Aborto Não!
38 - Small Fish - História em Branco
39 - Magadã - Há Tempo
40 - Holy Factor - Existe Solução
41 - Right Vision - Vida ou Morte no Rock n Roll (The Deadlines Versão Brasileira)
42 - Romanos - Ramones de Crente - Cordeiro Enaltecido (Glórias a Ti, Senhor)
43 - Intercorrência Oi! - Saída de Emergência
44 - Ressurreição - A Verdadeira Revolução

Ouça e baixe aqui:



DOWNLOAD


Fonte: SuperGospel
Compartilhar este post?

Dale Thompson: confira entrevista com o ex-vocalista do Bride sobre novos projetos


Por Robson Machado

Dale Thompson é uma das maiores vozes do rock e do metal. Ele é mais conhecido por seu trabalho com a Bride, banda que fundou no início dos anos 1980 com o seu irmão Troy Thompson e com a qual tocou até 2013, quando foi decretado o fim. Nascido e criado em Kentucky (EUA), o agora cidadão neozelandês retorna com um novo projeto chamado The World Will Burn. Eu tive o privilégio de viajar com a Bride pelo Brasil como intérprete e gerente de turnê em 2005 e 2006. Foi então quando conheci Dale e tive o prazer em conferir a sua potente voz e impressionante desempenho no palco.

Dale arrumou um tempinho em sua agenda e nos concedeu uma entrevista onde falou sobre o seu mais recente projeto, vida e sobre uma possível reunião da Bride.

Olá, Dale! É sempre bom falar com você, irmão. Como estão as coisas?
Eu estou ótimo. Estou com saúde e Deus me abençoa todos os dias.

Muitas pessoas ainda não sabem que atualmente você mora na Nova Zelândia. Há quanto tempo você está aí e por que você decidiu mudar-se?
Eu estou na Nova Zelândia há cerca de dois anos. Eu me tornei um residente permanente legal por meio do processo de imigração. Eu fui atraído a vir para cá por causa da minha esposa, Adelinde, que eu conheci on-line e depois de um ano de namoro on-line estávamos convencidos de que deveríamos nos casar. Então, sim, eu deixei os Estados por uma mulher.

Como e quando tudo começou para o The World Will Burn?
Quando mudei dos Estados Unidos para a Nova Zelândia comecei a procurar por músicos, na esperança de iniciar um projeto de gravação. No entanto, a Nova Zelândia parecia ser limitada no que eu estava procurando e os músicos que eu encontrei, foram bons, mas queriam seguir uma direção diferente da que o que meu coração estava me levando. Eu já tinha desistido, pensando que a minha carreira de gravação tinha terminado, foi quando o meu bom amigo, Alan Zaring, enviou-me algumas de suas músicas pela internet. Quando ouvi os riffs de guitarra “uma coisa falou ao meu coração” e eu o respondi, dizendo: deixe-me escrever algumas melodias e letras para suas músicas. Nenhum de nós queria uma Bride parte 2 e por isso fizemos todo o projeto completamente diferente do que Troy e eu escrevíamos para a Bride. Isso tudo aconteceu há alguns meses e desde o contato inicial, Alan e eu temos trabalhado a longa distância para fazer o The World Will Burn uma banda que seja atrativa para os fãs de hard rock.

Você e Alan moram bastante longe um do outro. Como foi o processo de composição e gravação?
Alan me enviou a verba para comprar uma pequena unidade de gravação e um microfone. Eu não tinha absolutamente nenhuma experiência como engenheiro. Ao longo dos anos eu fui apenas cantor e compositor na Bride e deixava o processo de gravação para os profissionais. Depois de um breve tutorial, usando o manual de instruções que veio com o meu aparelho de gravação, eu ensaiava a gravação. A coisa engraçada sobre todo o meu processo de gravação é que eu nunca entendi completamente o modo de usar o gravador, então eu não era capaz de corrigir erros. Eu literalmente tive que fazer todas as minhas partes do início ao fim perfeitamente em uma única tomada. Eu nunca encontrei o retrocesso ou os botões de avançar (risos). Quando eu pressionava para parar a gravação, voltava ao início da música. Gravei faixas de vocais principais, múltiplas vozes de fundo, e uma trilha de vocal com efeito e enviei tudo para Alan nos Estados Unidos e lá ele as montou interpretando o que eu estava tentando transmitir. Alan e eu nunca falamos ao telefone ou mesmo pelo Skype durante todo o projeto. Toda a correspondência foi feita através de mensagens. Tudo foi informal e complicado, mas de alguma forma funcionou maravilhosamente.

O que te influenciou mais para suas composições?
Eu fui realmente inspirado e influenciado por Adelinde, minha esposa, que me incentivou e me convenceu de que eu poderia de fato sentar-me em minha sala com a nossa cadela, Mischief, olhando para mim, gritar em um microfone e gravar um álbum de verdade com clareza e nível mundial. Se você pudesse ter me visto gravando (risos), você teria dito: ISSO NÃO VAI FUNCIONAR! Imagine-me com o cabelo despenteado, sem camisa, de bermuda, descalço, sentado na mesa da sala de jantar gravando o meu próprio vocal com fones de ouvido enquanto todos na casa tinham que permanecer em silêncio nos outros cômodos enquanto eu berrava os vocais. Em algumas trilhas os pássaros lá fora cantavam tão alto que saíram nas gravações. Sou muito grato que as guitarras de Alan cobriram os cantos das vigorosas aves na mixagem.

Você espera fazer uma turnê com o The World Will Burn?
Seria divertido fazer uma turnê com o The World Will Burn, mas receio que os meus dias de turnê terminaram. Gostaria de fazer outro álbum para o projeto. Se Alan estiver inspirado, eu estou pronto.

Como vocês estão distribuindo o CD?
Alan está cuidando de toda a distribuição. Estamos fazendo tudo sozinhos neste momento, mas o CD estará disponível em todos os locais habituais, iTunes, Amazon, etc.

Com relação a Bride? Vocês esperam reunir-se novamente no futuro?
Isso está nas mãos de Troy, meu irmão. Se ele decidir escrever músicas para a Bride, ele não pode fazer a banda sem mim e eu não posso fazê-la sem ele, nós somos uma equipe.

Conte-nos algumas boas lembranças que você tem do Brasil.
O Brasil para mim foi o ponto mais alto nos 30 anos de toda a minha carreira. Eu quebrei meu pé em um palco no Brasil, eu toquei para uma multidão estimada em mais de 100.000 pessoas, eu conheci algumas das pessoas mais maravilhosas do mundo inteiro lá e eu deixei uma parte de mim lá. Lembro-me do último show que a Bride tocou no Brasil. Foi ao ar livre e eu estava empolgando pra valer quando um sentimento forte bateu em mim: "Eu talvez nunca mais esteja aqui novamente". Fiquei muito triste no palco, mas detonei, porque eu sempre dei o meu tudo para o povo brasileiro. Eu realmente tenho saudades de vocês.

Você poderia nos deixar uma mensagem?
Eu acho que como pensamento final – para concluir esta entrevista – em primeiro lugar gostaria de agradecer a você por conduzí-la. Para qualquer um em dúvida com relação a minha posição dentro do rock cristão... Eu sempre terei o mais profundo desejo de compartilhar a Boa Nova de Jesus Cristo com o mundo e viver a minha vida como um instrumento da paz de Deus neste mundo, que eu possa me apresentar de forma que reflita o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

 

Fonte: Super Gospel 
Compartilhar este post?

31 de jan de 2016

Mauro Henrique: Loop Session Friends em Salvador/BA


Compartilhar este post?

Essence of Sorrow: banda anuncia novo álbum com ex-Stratovarius


Essence of Sorrow é uma banda de metal escandinavo da Suécia. Grandes nomes já passaram por ela como: Mats Leven (Yngwie Malmsteen, Gus G, Therion, Candlemass) e Christian Palin (Random Olhos, Adagio). Atualmente a banda tem como frontman o ex-Narnia, Germán Pascual. O grupo é liderado por Jani Stefanovic (Miseration) e já lançou o disco “Reflections Of The Obscure” em 2006. Para 2016, o grupo prepara um novo disco com este novo line-up: Germán Pascual – Vocal (Mind´s Eye, Narnia, Empire 21), Jani Stefanovic – Guitarra (Solution .45, Miseration), Tom Gardiner – Guitarra (Red Eleven, Hateform, Solution .45), Rolf Pilve – Bateria (Solution .45, Stratovarius), Jaakko Nikko – Baixo (Reversion, System Horizon).


Fonte: Templo Metal
Compartilhar este post?

Oficina G3: projeto DNA G3


DNA G3 é o novo projeto do Oficina que vai ganhar as salas de teatros por todo o Brasil. Uma das mais famosas e tradicionais bandas da música gospel brasileira, com quase 30 anos de estrada, os atuais integrantes, Mauro, Jean, Juninho e Duca prometem uma overdose de música, boas risadas, e uma abordagem intimista aos fãs de todas as idades. O primeiro ‪‎DNA G3‬ acontece na cidade de Teresina/PI. Serão 4 workshops mais troca de idéias com os integrantes, respostas sobre suas dúvidas, curiosidades e no final um show. Mais uma ideia da produção do grupo. Lembrando que ano passado a banda fez o projeto G3 na Igreja, que também foi um grande sucesso.

Confira teser do projeto:




Fonte: Templo Metal
Compartilhar este post?

Dynasty: 20 anos com turnê nacional


Uma das mais consideradas bandas de heavy metal do Brasil, comemora 20 anos em 2016. Em sua página oficial no Facebook, o grupo agradeceu e abriu sua agenda para novas propostas de shows.
O DYNASTY surgiu oficialmente em março de 1996. Com apenas alguns meses de existência, conseguiu atingir um patamar acima dos padrões da época.
A proposta do DYNASTY é fazer um heavy metal, calcado principalmente nas influencias de NWOBHM(sigla para “Nova onda do Heavy Metal britânico”), porém com o swing latino, aflorando os ritmos e sonoridades exóticas herdados de nossa miscigenação, sem nunca se esquecerem do fator peso. A banda é dona de um carisma especial, procura se envolver em temas ricos, enigmáticos e polêmicos, podendo assim expressar sua visão do mundo atual, sem soar massiva e formadora de opinião.

Honrosamente completamos nossos 20 anos de estrada em 2016, e queremos comemorar com vocês.

Fonte: Templo Metal
Compartilhar este post?

Stauros: capa e detalhes do novo DVD “Vale das Sombras”


Em 2015, o grupo enfim gravou o seu primeiro DVD oficial na cidade de Itajaí-SC. Com o mesmo título do último álbum, “Vale das Sombras, o material áudio-visual já está em pré-venda e partir do dia 20 de fevereiro deste ano estará disponível em todas as lojas. No DVD também há bônus das músicas “Viagem pro Céu”, “Novo dia”, “Guerra Final” e “Toda Dor”. Confira capa e set-list oficial.

1 Intro
2 Conflitos Mortais
3 Ainda há tempo
4 Vale das Sombras
5 Indiferentes (part. Rodrigo Godoy)
6 Além do véu
7 Marcas de um tempo
8 Esperando em Ti
9 Cidade de refúgio
10 Solo baixo
11 Estrada de sangue (part. JT Metal Nobre)
12 Cidade sem luz
13 Solo bateria e guitarra (Lucas e Alessandro)
14 Apostasia
15 Palavra (homenagem a Sara Regina de Freyn)
16 Tudo o que eu preciso
17 Solo guitarra (Renatinho)
18 Não desista
19 Marcas da desilusão

Bônus: O sentido da vida
Viagem pro Céu
Novo dia
A guerra final
Toda dor

Informações: www.staurosoficial.com.br

Fonte: Templo Metal
Compartilhar este post?